[Resenha] A culpa é das Estrelas

"A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas. Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar". (sinopse retirada do Skoob)




Com toda a certeza do mundo não sou a única a terminar um livro e ficar simplesmente sem palavras para descrever o que acabou de ler. E geralmente, isso acontece quando o livro é bom. E "A culpa das Estrelas" é bom. Incrivelmente bom.


E tive vontade de lê-lo quando vi fotos da minha amiga com ele, fiquei pensando: parece interessante. E depois procurei saber um pouco mais sobre o livro e tudo que conseguia imaginar era "realmente quero lê-lo". Na verdade, foi até engraçado: no dia que saí para comprá-lo, tinha meio que esgotado... O trabalhador precisou subir as escadas e procurar para encontrar um exemplar, sendo que ontem havia uma prateleira cheia dele - só não digo que é azar porque o cara encontrou lá em cima, guardado. 


Enfim, finalmente com o livro em mãos, comecei a folhear e não poderia ter sido mais satisfatório. Para ser bem honesta, no início achei que a história seria algo extremamente simples, basicamente o seguinte: romance entre adolescentes e uma tragédia inevitável. E realmente é basicamente isso. Porém, como todo livro possui surpresas, com "A culpa é das estrelas" não seria diferente, e ao longo das páginas, os pensamentos vão se intensificando, a narrativa fluindo naturalmente e as personagens conquistando você, tanto Augustus Waters quanto Hazel Grace e sinceramente, posso afirmar plenamente: foram um dos melhores protagonistas que já conheci. E sei lá, mesmo vendo tantas pessoas lendo "A Culpa é das Estrelas", não criei uma expectativa muito grande, principalmente pelo começo do livro... Então realmente acabei gostando muito.

Gus conquista realmente todo mundo com o carisma impecável dele e Hazel com a inteligência admirável dela. Além disso, Hazel possui um sonho um tanto quanto diferente e isso foi realmente legal, já que no começo pensei: hm... Meio estranho esse negócio. E depois, quando vi, estava lá torcendo por ela e me decepcionando ou comemorando junto dela. E desejando o mesmo que ela. Foi realmente incrível isso! 

E bom, como a Hazel possui câncer, a família não poderia ficar de fora. E tanto a dela, quanto a do Gus, são famílias incríveis e passaram exatamente o sentimento dos pais nessas situações. E além deles, outra personagem extremamente marcante: Isaac, ele rendeu uma boa comédia para o livro e assim como Gus e Hazel, nos mostrou que se encarar os problemas sem um mínimo de comédia/felicidade, só resta a lamentação e o sofrimento. E é claro, podiam fazer piadinhas e tudo o mais. No entanto, cada pessoa é uma e cada pessoa leva a vida do jeito que dá e em minha humilde opinião, eles escolheram o melhor jeito possível.

Mas, vale lembrar que às vezes não é uma questão de escolha: apenas acontece, como aconteceu com uma das personagens do livro. E caramba, é aquele negócio de você pensar "nunca serei assim" e depois de vários fatos e acontecimentos, e talvez até de necessidades maiores, você acaba ficando "assim". 

"Você vai rir, vai chorar e ainda vai querer mais" - Essa é a opinião deixada pelo Markus Zusak e realmente tudo isso acontece... A Culpa é das Estrelas é um banho de sentimentos e reflexões com uma pitada calorosa de comédia e verdades inevitáveis. E se eu quero mais? Sim... E não é mais sobre a Hazel ou sobre o Gus, a história deles finalizou de forma impecável.

Eu quero mais sobre a mãe da Hazel e do Gus.

Sobre o pai da Hazel e do Gus.

Sobre a Monica e suas monificagens.

Eu apenas quero o que a Hazel queria: descobrir um pouco mais sobre cada pessoa que fez parte deste livro. Afinal, sobre ela eu já sei o suficiente.

Provavelmente o final dessa resenha apenas quem leu o livro entenderá. E provavelmente, compartilhará da mesma sensação. 

Enfim, é isso.


Aparentemente, o mundo não é uma fábrica de realização de desejos.

Aé, o autor colocou o site de uma fundação sem fins lucrativos que ajuda crianças com câncer no final do livro, deem uma conferida, o.k.?: This Star Won't Go Out

O.k.


Muito bom!!

Beijos e até a próxima! 
Obrigada para quem leu até o final e deixa eu só contar mais uma coisa: eu chorei, ri, assustei, sonhei... Enfim, realmente viajei lendo o livro. Espero que vocês possam viajar da mesma maneira. E é isso, basicamente... 

Um comentário:

  1. Oi adorei sua resenha....mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos..acesse o link..www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem..

    ResponderExcluir

Comente de forma consciente :D